para divulgar o que vai sendo feito e pensado no projecto de dissertação do mestrado em comunicação multimédia
28
Out 09

» Quem serão os participantes no meu estudo? Como serão seleccionados?


 

Uma vez que o projecto consiste em duas vertentes, os participantes do estudo irão depender da escolha de um dos dois tipos de público-alvo. Assim, o estudo poderá ser feito com foco nos formadores ou nos formandos. Os formadores em causa, serão colaboradores da PT Inovação que pretendem construir objectos de auto-aprendizagem para formandos da mesma organização que queiram obter informação sobre determinada área de conhecimento.

 



» Que dados necessito para o meu estudo?


 

Para o meu estudo é necessário obter dados sobre a utilização das soluções de construção e visualização propostas. Assim, será importante avaliar a utilização do interface, ao nível da interacção e visualização, o desempenho na utilização das funcionalidades disponiblizadas, e tentar perceber em geral se a proposta apresentada responde às necessidades dos utilizadores e o que gostariam que fosse incluído na ferramenta.

 



» Como vou recolher os dados para o meu estudo? Que instrumentos preciso de adaptar/criar/validar e aplicar?


 

Os dados serão recolhidos no âmbito da PT Inovação com recurso a testes de usabilidade. Estes testes irão consistir na realização de um número de tarefas pré-definidas, seguido da resposta a inquérito/questionário dobre os mesmos. Caso seja considerado pertinente no esclarecimento de respostas fornecidas pelos inquiridos, poderão ser efectuadas entrevistas.
Prevê-se assim a necessidade do estabelecimento de escalas de avaliação para as grelhas de informação obtida nestes estudos.
 


No dia 22 de Outubro de 2009, eu e a Sofia deslocámo-nos à PT Inovação para nos reunirmos com os professores Arnaldo Santos e Luis Pedro com o objectivo de definir os projectos de investigação.
    Após uma fase inicial em que se discutiram questões mais práticas, partiu-se para a apresentação de alguns projectos, já em desenvolvimento na PT Inovação, nos quais nos poderemos integrar.
    Um dos projectos apresentados foi o de um portal de Learning Objects (chamemos-lhe Projecto X), que permite criar L.O. multimédia, forma automática e semi-automática integrado com LMS, LCMS e KMS. Neste contexto, um L.O. consiste numa unidade mínima com introdução/objectivos, desenvolvimento (actividades pedagógicas), síntese e questionário. Estes objectos de aprendizagem podem ser agrupados e reutilizados para constituir percursos de aprendizagem adaptados às necessidades dos formadores e formandos. Foi também abordado o conceito de rapid learning e a sua pertinência no contexto do projecto e das necessidades das empresas.
Num contexto de utilização mais específico, o Projecto X será um portal onde se disponibilizam conteúdos de aprendizagem que o utilizador poderá pesquisar, catalogar, visualizar, de acordo com os seus interesses/necessidades. Do ponto de vista do formador, o Projecto X disponibiliza um modo semi-automático de agregação de recursos, funcionando como editor de conteúdos multimédia para web.    
    O projecto irá então incidir em duas vertentes: a do formador e a do formando.
    A nível das funcionalidades disponíveis para o utilizador-formador, pretende-se tornar o método de templating existente o mais flexível possível, para personalizar o modo de visualização e interacção de conteúdos.
    Em relação ao utilizador-formando, as questões a resolver são ao nível da forma de navegação no portal de conhecimento e na personalização do seu ambiente de auto-aprendizagem. Pretende-se a construção automática do perfil do formando, com base nos conteúdos acedidos, possibilitando a sugestão de outros percursos/conteúdos que se enquadrem nas suas áreas de interesse.
    Falou-se ainda de outros projectos relacionados com o Projecto X, nomeadamente ECEL, PEGAC e PEGECEL. Foi também referido como ponto importante o facto de ser necessário conceptualizar soluções tendo em atenção as limitações tecnológicas do Projecto X.
    As soluções desenvolvidas deverão ser posteriormente aplicadas aos conteúdos de Elearning já existentes em áreas da PT Inovação, como NOSIS, NETBAND e NGIN.
    A nível de pesquisa teórica a realizar para preparar o estudo, foi recomendada a investigação dos vários paradigmas de interacção para cada tipo de sistema ou portal.
    Como conceitos-chave retemos:
    - auto-estudo
    - auto-aprendizagem
    - auto-formação
    - conteúdos multimédia
    - interacção/navegação conteúdos web
    - flexibilização e personalização

 


21
Out 09

 

» Qual a metodologia que, neste momento, considero mais adequada para o meu projecto de investigação?

 

Neste momento, considero que o procedimento metodológico que melhor se aplica à minha investigação é o procedimento investigação-acção.

 

 

 

» Porquê?

 

Porque o desenvolvimento prático do projecto implica obtebção de informação e estudo da mesma, de modo a chegar a uma ou mais soluções.

 

 

Considero que esta investigação tem um objectivo exploratório, uma vez que em primeiro lugar será necessário clarificar o problema para em seguida formular hipóteses para a sua resolução.

 

 


07
Out 09

« O que já se fez de relevante na área e quais os resultados mais importantes?

Realizando pesquisas utilizando as palavras-chave elearning, hierarquização de informação, visualização e interacção com conteúdos web, folksonomia, taxonomia, foi possivel recolher uma série de estudos realizados na área.

 + Moysés de Araújo e Maria Alice G. V. Ferreira - "Educação a Distância e a Web Semântica: Modelagem Ontológica de Materiais e Objetos de Aprendizagem para a Plataforma CoL"

    Resumo: Para dar uma nova infra-estrutura para a World Wide Web está surgindo uma nova tecnologia conhecida com Web Semântica, cuja finalidade é estruturar e organizar as informações para buscas mais inteligentes e eficientes, utilizando-se principalmente o conceito de ontologia. Este trabalho apresenta uma proposta de modelagem ontológica de materiais e objetos de aprendizagem baseada nas tecnologias da Web Semântica para a plataforma de ensino a distância CoL - Cursos on LARC. Esta proposta estende esta plataforma adicionando-lhe a capacidade de organizar e estruturar seus materiais de aprendizagem, de forma a que pesquisas mais “inteligentes” e estruturadas possam ser realizadas nestes materiais e propiciando a possibilidade de reutilização de seu conteúdo.

 + Clara Aquino - "Hipertexto 2.0, folksonomia e memória coletiva: Um estudo das tags na organização da web"

    Resumo: A forma como os dados são representados, organizados e recuperados na web é o centro da preocupação deste artigo. Partindo de um histórico do hipertexto, observando suas novas práticas e buscando demonstrar as possibilidades de criação de uma memória coletiva em determinados ambientes da web através da folksonomia, este trabalho se propõe a analisar estas novas formas de representação, organização e recuperação de informações na web no intuito de elucidar uma nova fase do hipertexto, na qual o ideal de coletividade originário da prática pode então se concretizar.

 + Maria Elisabete Catarino - "Integração das folksonomias nos metadados : identificação de novos elementos como contributo para a descrição de recursos em repositórios"

    Resumo: Folksonomia é o resultado da descrição dos recursos da Web pelo próprio utilizador. É um conjunto de etiquetas variadas e com carácter geralmente subjectivo. Estas imprimem variedade e riqueza à descrição de recursos Web que até à data era realizada quase exclusivamente por profissionais da informação ou pelos próprios autores. As folksonomias não são, em geral, relacionadas com elementos de metadados estabelecidos e, consequentemente, não são inteligíveis por máquinas, nem processáveis em contexto de Web Semântica. Para que tal possa acontecer, é necessário, antes de tudo, que esses elementos de metadados sejam conhecidos. De modo a poder contribuir para a sua identificação, formulou-se a seguinte Questão de Investigação: Que propriedades, ou elementos de metadados, se podem relacionar com as folksonomias de modo a possibilitar que os valores que delas constam possam ser convenientemente processados num contexto de Web Semântica? Para responder a esta questão, foi analisado o conjunto de dados do Projecto KoT (50 recursos, 5.098 etiquetas, 15.381 utilizadores) segundo os seguintes procedimentos metodológicos: criação da base de dados; análise das etiquetas do conjunto de dados; identificação das propriedades complementares ao Dublin Core (DC); e validação da proposta.

Foram identificadas as seguintes novas propriedades: Action, Category, Date Tagged, Depth, Note, Rate, Self Reference, Share, User Name e Utility. São propriedades inovadoras pois relacionam-se com valores que espelham a amplitude de percepções patentes nas folksonomias. 

« Sugestão de links

http://flowingdata.com/2008/10/20/40-essential-tools-and-resources-to-visualize-data/http://www.smashingmagazine.com/2007/08/02/data-visualization-modern-approaches/

http://elearnqueen.blogspot.com/2008/02/haiku-web-20-friendly-lms-encourages.html

http://christytucker.wordpress.com/2007/08/16/facebook-as-lms/

 


04
Out 09

Com a adaptação das ferramentas de aprendizagem online com base em Learning Management Systems à web 2.0, sugem uma série de questões em relação à adaptação dos conteúdos e visualização dos mesmos.

 

Com o intento de clarificar o que ainda não está claro, deixo as respostas (provisórias) a 4 questões:

 

»Porque escolhi a temática?

Em primeiro lugar, tinha preferência em realizar um projecto no seio de uma empresa. Tendo interesse em projectos multimédia relacionados com aprendizagem e conhecimento, escolhi assim esta proposta de investigação de entre as fornecidas como primeira opção.

 

»Qual a pergunta de partida da da investigação? 

Algumas possíveis perguntas:

1. De que modo podem ser visualizados conteúdos de um LMS?

2. Em que consiste a definição de um novo paradigma de utilização de um LMS?

3. De que modo podem ser divididos e hierarquizados os conteúdos submetidos por diferentes perfis de utilizador?

 

»Que título daria, neste momento, à minha investigação?

O existente é um pouco extenso e abrangente, mas para já o título é "Investigação e experimentação em torno de novas abordagens à comunicação baseada em sistemas de gestão e aprendizagem e em área de conhecimento".

 

»Neste momento, o que sei que não consigo realizar, o que poderei realizar e o que não faço ideia como realizar?

Por agora, penso ser um pouco cedo para determinar qualquer uma destas questões, pois ainda não está perfeitamente definido em que consistirá o corpo de trabalho. Penso no entanto, que a nível de desenvolvimento e implementação não serão exigidas competências demasiado técnicas (linguagens de programação avançadas), mas serão sim esperados estudos e exemplos de novos cenários para interface de conteúdos.

 

À medida que estas questões forem sendo mais aprofundadas, forneço detalhes sobre o projecto.

 

 

 

 

 

 

 


mais sobre mim
Outubro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
22
23
24

25
26
27
29
30
31


arquivos
2010

2009

pesquisar blog
 
subscrever feeds
blogs SAPO